005 - poema de chile, com yumi yab

Será que existe uma poesia nacional? Convidei a Yumi, do Eu Não Sei Logaritmo, para tentar chegar a um consenso sobre. Para isso, usamos sua recente viagem ao Chile e partimos de um discurso de Bolaño, "Literatura e Exílio", que revela um pouco dos caminhos que gostamos de tomar quando lemos poesia.

Por
Caio Lima

Fala aí, galera!

Convidamos a Yumi, do blog Eu Não Sei Logaritmo, para bater um papo sobre poesia chilena. Aliás, será que poesia chilena existe? Ou seria só poesia, sem Chile? Curiosamente, o Chile é berço de poetas singulares, excelentes e de vasta produção e relevância para o meio literário mundial. A primeira latino-americana a ganhar um Nobel foi, inclusive, chilena. Gabriela Mistral, em 1945, fez o que parecia impossível e elevou o status das letras chilenas ao receber o maior prêmio da literatura. Anos depois, em 1971, Pablo Neruda repetiu o feito. Afinal, o que faz do Chile um país tão poético? A única resposta aparente é: os contrastes de seus poetas. Para chegarmos aqui, nos alicerçamos num discurso de Roberto Bolaño, "Literatura e Exílio", e na influência de outros poetas nem tão chilenos assim. Ou são?

Ouça aqui:

Ou estamos nas principais plataformas de streaming, como Spotify, Deezer e iTunes.

Além disso, para quem preferir não gastar dados ou ouvir programas sem propaganda, o download é livre clicando aqui!

Referências

Eu Não Sei Logaritmo - Literatura e ciência na Flip 2019

La Chascona - Casa de Pablo Neruda

Roberto Bolaño - Literatura e Exílio

Gabriela Mistral - Poema de Chile

Sobreviver a Cesárea Tinajero

Síon
Síon