Michel Deguy - A Rosa das Línguas

"O Peso do Pássaro Morto", livro de estreia da Aline Bei, é um fenômeno recente que remete à vida enquanto perda contínua. Os versos que abraçam e entrelaçam os vazios e perdas da protagonista redimensionam os limites de gênero dentro do romance e sua capacidade de também comunicar nas pausas e no silêncio.

Por

Por Caio Lima

Se você nunca leu Michel Deguy na vida, não passe mais tempo sem ler. O cara é sublime. Mas aqui a gente se arrisca na mariola da peteca e tenta fazer diferente. Então, me diz, por que não resenhar um livro de poesia fazendo uma? Bugou a mente aí? Faz favor e dá um confere aqui.

Dá margem ao que te faz leveDê tempo para que o tempo (re)leveDas cinzas do centroEm forma de espiral queCai e envolve o mundoCaiu dentro de siRefletiu sobre tudoE todos os passageirosQue se revezam na buscaDe um destino comumNessa vida não há espaço paraSer apenas um por umSi para si, causaDóEncurte as distâncias e griteMais alto, até que seus pulmõesExplodamAproxime-se do real para que pareça frívoloE torne triste o mendigo que goza da liberdade como oMaior dos bensMalditos sejam os que espalhamSua métrica através dosTempos e soltam gritos deSocorroQue só a arte escuta sem queTantos o compreendam.